quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Areópago, o peso da história em Atenas



Um lugar fantástico. É impressionante a sensação de caminhar por lá.

O Areópago era um espaço (um monte), onde funcionava uma espécie de "Tribunal" em Atenas. Isso por volta de 500 A.C (andando pela Grécia, você vai sempre esbarrar com essas data fantásticas e surreais, 300 A.C, 450 A.C...).

Os acusados eram submetidos a julgamentos pelos membros de um Conselho. O processo era relativamente simples, e as reuniões, ao ar livre e à noite. A princípio, os acusados defendiam suas próprias causas, mais tarde, foi-lhes permitido ter defensores, que não podiam utilizar artifícios para comoção ou piedade dos julgadores (ótimo isso, rsrs).

Marido, feliz e emocionado, no Areópago
As sentenças proferidas no Areópago nunca eram questionadas, dados o peso e a integridade do Tribunal.

Também há registros bíblicos no local. No livro de Atos dos Apóstolos, é descrita a passagem de Paulo por Atenas. Ele pregava aos gregos sobre Jesus Cristo, no Areópago, um local rodeado por imagens e culto a diversos deuses.


Nesta placa está escrito o célebre discurso do apóstolo Paulo aos atenienses.
As lindas vistas do Areópago:




Ao fundo o Parthenon. Há um caminho de lá até o Areópago.
A cidade de Atenas e o templo de  Hephaestus, vistos do Areópago.  
Para a Acrópolis, o ticket custa 12 euros para adultos. Nós compramos na entrada que fica próxima ao Novo Museu da Acrópole, na rua lateral.  Com ele você tem acesso ao Aerópago. E também, com o mesmo ingresso, ao "Mercado Romano" (Roman Market), "Ágora Antiga" (Ancient Agora), "Templo de Zeus" (Temple of Zeus) , Kerameikos, "Templo de Dionísio" (Dionysos sanctuary), "Biblioteca de Adriano" (Hadrian's Library). 

Um comentário:

Anônimo disse...

Um pedaço deste discurso está nos primeiros km do Catecismo da Igreja católica. É a gasolina azul daqueles que empreendem a longa viagem de 2865 km na rodovia deste catecismo. É um discurso mais erudito e orgânico que o habitual de Paulo. É o mais fracassado discurso fulminante da história religiosa dos humanos. Tinha que sê-lo para que fechasse a ignorância dos tempos passados. Somos criancinhas de fraldas peregrinos na terra. E quando nos arrogamos doutores, temos horror à verdade, ou talvez crianças mimadas. Um dia minha filha me disse que iria com seu marido em Atenas. Lembrei a ela que lá fica uma pequena colina referência geográfica deste discurso e não disse e não pedi nada. Com muita gratidão a São Paulo que monitorou tudo e fez com que minha filha me trouxesse uma foto tirada pelo seu marido, ela bem ao lado de uma placa em bronze no alto da colina contendo o discurso em alto relevo do maior bandeirante do evangelho...:)