sexta-feira, 25 de maio de 2018

1º post - ATACAMA

A cidade de San Pedro de Atacama fica a aproximadamente 1600 km de Santiago, bem ao norte do Chile. Como disse na postagem anterior, deixamos alguns pertences no aeroporto de Santiago, para onde voltaríamos para seguir ao Brasil no retorno.

Nossa opção (e a mais fácil) é ir de avião a Calama. Há vôos da LATAM e da SKY, cia chilena. Nosso vôo Santiago-Calama pela SKY custou U$ 140, para 02 pessoas, ida e volta. O vôo é rápido, cerca de 2h, e o aeroporto de Calama é moderno e organizado. No meio do "nada", super interessante.


Gosto de relembrar que fomos em Maio (14 a 21), para que ao se planejarem, saibam mais detalhes do clima e temperatura (sempre sinto falta dessa informação nas postagens por aí...).

Chegando em Calama, já se percebe um sol "diferente"... sol do deserto como os guias falam. É interessante, pois no sol é bem quente, e quando vai para a sombra, o vento é frio...de tarde, a sensação (na sombra) é de uns 22, 23 graus.

De Calama a San Pedro de Atacama, você pode alugar um carro (na verdade há várias pick ups para aluguel) ou pegar um transfer. Nós já tínhamos fechado com um transporte (PAMPA tour) mas no desembarque você tem 3 ou 4 empresas oferecendo os serviços. O preço é tabelado: 12.000 pesos chilenos Calama-San Pedro ou pagando a ida e volta 20.000 pesos chilenos por pessoa.

O trajeto até San Pedro de Atacama dura cerca de 1h30, e a estrada já é uma atração, te apresentando o que te espera nos próximos dias.


Chegamos no início da noite, por volta de 19h30, e isso foi ideal para a "aclimatação". Pudemos ver a cidade à noite, caminhar com calma (é importante caminhar devagar na chegada, por causa da altitude) e jantar no centro. De noite, a temperatura cai bem! Vai de uns 12 graus, até uns 7, de madrugada.


Comemos no restaurante TIERRA TODO NATURALE, que delícia! Como a comida é bem feita, e bem temperada no Chile, ótima dica, veja aqui.




Nosso hotel escolhido foi o CKOI LODGE, que é um típico hotel no estilo Atacameño, construção de "barro", bem típica, com decoração bela e rústica. Que lugar legal!!! Equipe amigável e pronta a ajudar. Fiz pelo Booking, valor foi de U$ 162 a diária. Pontos fortes: água quente no banheiro (usei até banheira, muito boa!); o quarto "segurava bem" o frio (váaarias cobertas disponíveis) e café da manhã bem caprichado, servido em cada mesa individual.




As Lhamas estão em todo lugar. No quarto e na área externa do hotel.


Áreas externas do hotel, uma delícia.

Café da manhã feito com capricho, pão caseiro quentinho, café, cereais. 


Mascotes do CKOI LODGE: Lhamas, Cachorro, Gato. 



Um cantinho pra tomar um sol à tarde. E sempre água quente pronta para chá. Você toma muuuito chá lá
 (de coca e de outros que quiser...rs)
 No Atacama há uma infinidade de acomodações, de vários preços (muitos hostels), então escolhemos um hotel próximo ao centro, mas que tivesse um ar mais típico. Não é dos mais baratos e nem dos mais caros. Há resorts e hotéis 5 estrelas com diárias de muitos millllls reais.

Teríamos 3 dias inteiros e mais 1/2 dia (já que nosso vôo de volta seria às 17h50), então, após pesquisar e conversar com pessoas que foram, priorizamos os passeios que são considerados imperdíveis.

Nosso ROTEIRO PARA 4 DIAS NO ATACAMA ficou assim:

- 1º dia - Laguna Cejar e Lagunas Escondidas (tarde - inclui Coquetel final de tarde)
- 2º dia - Vale da Lua e Vale de Marte (tarde - inclui Coquetel final de tarde) e Tour Astronômico (noite - 21h-0h)
- 3º dia - Lagunas Altiplânicas (inclui café da manhã e almoço)
- 4º dia - Geyser el Tatio (inclui café da manhã)

AGÊNCIA

Reservamos os passeios com a agência ARAYA, e agora posso recomendá-la de olhos fechados. Muito organizados (a Roberta é brasileira), enviou uma programação completa na véspera, mandava avisos diários e tinha uma ótima equipe de guias, bem informados sobre todos os passeios (chilenos, que falam "português" - dava para compreender bem).

Sobre contratar agência ou fazer passeios "solo", aí vai minha opinião (exclusivamente sobre o Atacama). Alguns amigos fizeram os passeios de moto, sem guia. Mas, o que aconteceu conosco foi: a agência ARAYA nos levava sempre no fluxo oposto à maioria dos turistas... Ou seja, quando todos paravam na "primeira lagoa", nosso grupo ia para a "última" primeiro, e ia retornando. Então, deste modo, estávamos quase sempre sozinhos nos locais. Isso rende cada FOTO INCRÍVEL!!!

Outro detalhe são os macetes na hora de comprar as entradas dos parques (são pagos à parte, nos locais). Os guias sempre têm preferência, em relação aos viajantes-solo.

Mais uma coisa. Saber o horário correto de se realizar cada um dos passeios faz a diferença. Com alguma pesquisa é possível fazer sozinho. Mas confesso que a comodidade de ter a agência te pegando no hotel na hora marcada, e te deixando de volta, nos deixava bem livres para curtir totalmente cada passeio. Já fizemos viagens de carro e trem, por nossa conta. Mas é claro que rola sempre uma ansiedade (quando não stress) em dirigir em estrada novas. Ps. Não sei como funciona o GPS no deserto, talvez funcione bem, não me informei.

Últimas e NÃO MENOS IMPORTANTE OBSERVAÇÕES:

1 - Organize os passeios por ordem "crescente" de altitude. Isso é legal pois assim você diminui o risco de sentir algum sintoma (algumas pessoas relatam dor de cabeça, náuseas, tonturas...). Assim, os últimos passeios são os mais "altos".
2 - Não se esqueça de itens básicos em todos os passeios, que são: água, filtro solar e protetor labial, boné/chapéu, casacos para o fim do dia.
4 - Algumas agências oferecem, com os passeios, alguns mimos que são "Coquetel" no fim de tarde e Café da manhã. Não são todas. Dentre as que pesquisei, que ofereciam isso E, além disso, tinham GRUPOS PEQUENOS, a ARAYA apresentou a melhor proposta. Não me arrependi mesmo! (Caso queira pesquisar outras, sugiro FLAVIA BIA EXPEDIÇÕES e AYLLU, para comparar).
3 - Achei acertada, pessoalmente, a decisão de não encher os dias todos com passeios. Tivemos brechas ótimas para relaxar, ler, passear sem pressa no centro... Até porque tem passeios que saem cedo (os que tem café da manhã incluso, oferecido pela agência). Beeeeeem cedo, no caso dos Geysers, por exemplo (4h30 da manhã).

Detalharei, nas próximas postagens, cada um dos passeios e as dicas para cada um.

Enjoy the ATACAMA! 

Qualquer pergunta, pode mandar email ;)

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Iniciemos os trabalhos...Chile! Santiago rumo ao Atacama!

Chegou a hora de mais uma série deliciosa (e nostálgica, já e sempre) de postagens!

Acabamos de voltar do Chile, e focamos nossa viagem no Atacama. Sempre via as imagens de lá, sonhava em ir...nada muito concreto. (Até porque tenho váaaarios destinos na minha "pasta de favoritos" mental kkkk).

Bom comentar, o Chile é um país com várias opções de destinos: Valle Nevado, Lagos, Patagônia, Vulcões, Atacama...etc. Enfim, o ideal é focar em alguns passeios que interessam mais. 

Eis que apareceu uma oportunidade e começamos a planejar nossa viagem ao Atacama.

O roteiro para o Atacama foi feito assim: teríamos 08 dias inteiros, contando com vôos. Ficamos 1 dia e meio em Santiago (tenho um mini-roteiro para postar, caso alguém vá passar pouquinho tempo na cidade) e o restante no Atacama (foram 5 lá, e 1 para deslocamento).

Então, comecemos com nossas dicas de ROTEIRO DE 01 DIA E MEIO EM SANTIAGO e impressões da cidade. 

Ficamos hospedados 02 noites no Heidelberg Haus Apart Hotel Providencia, Santiago. (link para o Booking). Ótima opção de preço nesta localização (onde os preços são mais altos), quarto amplo, com salinha e cozinha. Café "basicão", deu pro gasto. Caso fiquem mais, dá até pra cozinhar algo simples. Nosso foco era o Atacama, então a estadia foi nos atendeu bem! Atendimento bom na recepção, perguntando se queríamos taxi, etc. Enfim, vale a dica!

                          


Este bairro é o que as pessoas mais indicam para turistas, e deu para entender porquê. Cheio de restaurantes, lojas e próximo ao Shopping Costanera (aquele prédio aaaaaalto que a gente sempre vê nas fotos de Santiago).

Andamos bastante a pé, e o bairro é extremamente limpo, lindo e bem residencial (nos arredores do hotel). Deixou ótima primeira impressão do Chile.


              

Dicas para 01 dia e meio em Santiago:

- 9h - Caminhando por Providência, fomos até o Parque de las Esculturas.


O outono no Chile é lindo! Temperatura em torno de 13 graus de manhã.

Lá atrás, o Shopping Costanera

Parque de las Esculturas - um parque gratuito, com várias obras de arte espalhadas, e também uma galeria com exposições (gratuito)






É fantástico quando uma cidade tem arte assim, espalhada em espaços públicos. 

- 10h - Caminhando pelo parque, fomos em direção ao Parque Metropolitano, para pegar o teleférico rumo ao topo do Cerro San Cristobal. Andamos uns 10, 15 minutos. Valores em Peso Chileno:



     
          
Muito linda a vista da cidade, ao fundo as Cordilheiras. Neste dia, estava com bastante névoa.

11h30 - Após apreciarmos a vista lá do topo, descemos o Cerro pelo Funicular, com direção ao centro da cidade.

A poucos passos da saída do funicular, chegamos andando (confesso que por acidente, apesar de já ter lido sobre) ao Patio Bella Vista. Um centro com bares, restaurantes e lojas. Tudo super transado, com muitas opções. Vale a pena passar lá!

Patio Bella Vista - um centro comercial a céu aberto, mais restaurantes que lojas

Restaurante La Casa en el Aire, comida chilena deliciosa!
 - 13h30 - Caminhamos em direção ao Mercado Central (centro), passando por monumentos e prédios históricos. Cerca de 20 a 25 minutos de caminhada.

 - 
No meio do mercado, há opções de restaurantes, a maioria oferecendo frutos do mar, e a famosa "Centolla".

- 16h30 - Pegamos o metrô, em direção à Providencia (estação Los Leones). Não quisemos esperar a hora do Rush no centro de Santiago.

Passamos no hotel, relaxamos um pouco e buscamos algum lugar legal para jantar. Chegamos até esta indicação:

- 19h30 - Restaurante Baco. Uma excelente opção em Providência!




Várias opções de vinhos brancos, tintos e espumantes em taça ou garrafa. Ótima adega.

O salmão no Chile é realmente diferente. Tenro, suculento e com sabor incrível.

Marido pediu um risoto de frutos do Mar.disse que foi a melhor comida da viagem,
 - No dia seguinte, tínhamos a manhã livre, até a hora de embarcar para Calama (rumo ao Atacama). Então fomos bater perna no Shopping Costanera.

Que Shopping! Marcas ótimas, nem deu para ver nem 1/4 do Shopping. Mas....o foco era outro!!

Há uma loja fantástica, chamada Paris. É tipo uma loja de Departamentos, com Starbucks dentro, e produtos lindos!

Por volta de 12h30 deixamos o hotel para o aeroporto. O vôo para Calama, pela Sky, sairia às 15h. Na próxima postagem explico sobre estes vôos, e a pegadinha que há em voar ao Atacama. 

* Dica top!!! Lá no Shopping Costanera tem um ótimo supermercado (Jumbo), e nele compramos vinhos e presentinhos (chocolates, etc), peguei até uma caixa de papelão lá. Muito melhor que comprar em Free Shop né?. Como iríamos embarcar para o Atacama, deixamos no Guarda Volumes do aeroporto de Santiago, já que na volta estaríamos lá para pegar o vôo para o Brasil. O valor do Guarda-Volumes foi de US$ 5,00 por dia. Deixamos uma caixa lá, com as compras ;)  . Na volta passamos lá, pegamos e despachamos para o Brasil. Super confiável!

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

A Costa Amalfitana é tudo isso mesmo? Parte 3 - AMALFI

A deliciosa Amalfi (que é tão linda que dá "nome" à região) é uma ótima opção tanto para bate-e-volta ou para ficar por lá...

O vilarejo é bem pequeno, portanto um dia é bastante para um passeio tranquilamente. Fomos de ferry de Positano (8 Euros o bilhete), e o trajeto é bem rápido.




O artesanato (a maioria com os famosos limões) é irresistível!

Também há coisas interessantes em couro, com bons preços.

                                               Se for a Sorrento, deixe para comprar lá. 



Por Amalfi vimos alguns presépios, cheios de miniaturas. Fofo....

Esse "ar" rústico da Itália é bem presente em Amalfi. Almoçamos nesta Trattoria da Barracca. Delícia!

Amalfi tem um Duomo pra chamar de seu! Linda essa igreja não?
Na hora que estávamos lá, não estava aberta a visitas. Há horários certos para isso...




A praia já dava sinais de como fica no Verão. Fomos em Maio, e o clima estava ameno, mas não "beach weather", ainda.

Gostoso para ficar jogado no sol...


Muito prazer, Amalfi! Você faz jus ao nome!

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A Costa Amalfitana é tudo isso mesmo? Parte 2 - CAPRI

Continuando os posts sobre a Costa Amalfitana, vou falar um pouco da LINDA e IT-IT de todas as Cities: CAPRI.

Na hora de elaborar o roteiro da Costa Amalfitana, ela sempre aparece. Confesso que no planejamento quis incluir uma noite em Capri (cheguei a reservar hotel), mas depois, passando um pente fino ($$$) resolvemos privilegiar a estadia em um bom hotel em Positano, que eu tanto sonhava, e deixar Capri para um bate-e-volta. Positano-Capri é um Bate-e-volta de respeito, oras!!! kkkk

O ticket do ferry foi o único que comprei antes pelo site da NLG, e troquei pelo bilhete no local (há várias barraquinhas de cada empresa de barcos e ferrys no pier de Positano). Os 4 bilhetes (ida e volta) somaram 80 Euros para nós dois. Cerca de 20,00 Euros a ida e 19,00 a volta.

Linda chegada à Marina Grande

Na nossa chegada em Capri, barcos para passeios à Gruta Azul e outros...

Chegamos lá por volta de 10h20 e quisemos fazer logo o passeio à Gruta Azul (Grotta Azzurra). Pois reservamos almoço...mais pra frente conto.

Com cerca de 20 minutos de barco (com cerca de 15 passageiros), chegamos ao local em frente à Gruta, em que vários barcos "aguardam" sua vez de iniciar o passeio à gruta. O ticket para este barco inicial custa 15 Euros por pessoa, e não inclui o barquinho menor (este com os remos) que entra na gruta (está escrito no ingresso, mas é bom ficar atento a isso).

Após alguns minutos de espera, cerca de 25 (lembrando que fomos em Maio, iniciozinho da alta estação, em Junho-Agosto deve ser mais demorado), fomos trocando de barco, de 4 em 4 pessoas, para entrar na gruta. O ingresso para entrar custou 14 Euros por pessoa, e é vendido no local (numa espécie de barco-caixa). Depois todos voltam ao barco maior para retornar à Marina. O total de tempo do passeio foram cerca de 2h.


Muito divertida a entrada, o povo grita, etc...
 Os remadores cantam "oooo sole mioooo", é fofo...
(mas não se enganem, estão atrás do seu dindin, rs)

Dentro da gruta a experiência é demais...

Retornando à Marina, pegamos o funicolare (funicular), uma espécie de bondinho, para subir ao centro de Capri.


Capri é um lugar bem diferenciado, uma coisa meio "Bond"...entendem? Muito LUXO no ar!


ESPETACULAR, sem dúvida.

Meu marido, exercitando o High-Low em Capri
(de havaianas...kkkkk. Mas não foi só ele, vejam o pessoal atrás...)

Fizemos reserva no Da Paolino, que desde o Brasil já tinha lido e ouvido falar...Como deixaria de ver aquela cobertura de limões de verdade? E o cheiro?? Surreal.

Pegamos um táxi do centro (aqueles conversíveis ;) e em cerca de 10 minutos chegamos lá.

Obs. Não estava cheio a ponto de ser necessário reservar (em Maio), mas fica a dica de fazer pelo site, caso prefiram.



Um SONHO....
Nessa mesa, aconteceria um almoço de casamento...imaginem só??

Vimos a família chegando depois.

Limoncello Spritz...S2... porque né....

Risoto de camarão ao creme de limão siciliano....PENSA??!!

Que dia...
O Da Paolino valeu muito a pena. Recomendo! Quanto ao preço, médio para alto, mas é daqueles dias que ficam na lembrança...

Acho que foi cerca de uns 80 euros a conta, não me lembro ao certo.


Espia Lourenço causando na água gelada...kkkk

CLIMA EM CAPRI EM MAIO

Vou complementar com informações que eu tentei encontrar antes de ir e não achei. Em Maio, o clima é gostoso (leia-se fresco), porém instável. Teve momentos de sol (tira casaco!), e momentos de vento (põe lenço! põe casaco!). Enfim, você vai ter que andar com uma casaco e um lenço na mochila, rs... Durante alguns momentos de sol, a temperatura parecia estar na casa dos 27...

TIRA CASACO:


PÕE CASACO! 


A ida a Capri (nem que seja num bate-e-volta) de respeito (rs) vale a pena! Afinal...se fui pobre não me lembro!!! kkkk