segunda-feira, 30 de maio de 2011

Europa com 100 euros por dia (para o casal)

Uma das maiores dúvidas de quem vai viajar é quanto dinheiro levar. E também como levar: em cash, cartão de crédito, travel check, visa travel money, etc...). Sobre o segundo tópico, o Ricardo Freire, do Viaje na Viagem, apresentou pesquisa detalhada, aqui.

Levamos cash e cartões de crédito, mas aí vai de cada um.

Como passaríamos um mês, tivemos que tentar prever, ao máximo, quanto gastaríamos com entradas de museus, atrações, metrô, e comida, por dia. E estabecelemos a média de 100 euros, por dia, para nós dois.



Lembrando que os hotéis e os vôos estão de fora desse cálculo, ok?

Nós fazíamos assim: comprávamos o ingresso da atração do dia (quando não era gratuito), com o restante separávamos o dinheiro do transporte (na maioria dos lugares, andamos de metrô, ou a pé) e para a alimentação do dia.

Com 50 euros, um casal come uma boa refeição (almoço ou jantar), com bebida (vinho, cerveja...). O nosso combinado era fazer uma boa refeição por dia, e na outra a gente beliscava alguma coisa, comia um sanduíche ou passava na padaria mais próxima.

Obs.Quem gosta de se alimentar mais, bebe vinhos mais caros, ou escolhe restaurantes do Guia Michelin rsrs deve separar mais grana, porque só cenzim não dá não... 

Se algum dia a gente extrapolava em alguma refeição, maneirava na outra seguinte. Óbvio que não era nada tão rígido assim, afinal a gente estava de férias né...mas em se tratando de muitos dias de viagem, é interessante estabelecer algum tipo de controle nos gastos (para quem precisa né gente? rs)

Dos países e cidades que passamos, notamos pequena diferença nos preços. Vale destacar:

Barcelona: comida barata (lembrando que a maioria dos restaurantes serve refeições estilo "tapas e pinchos", são pratos pequenos, como nossos aperitivos), e os vinhos foram os mais baratos da viagem (junto com os vinhos gregos). Por exemplo, na Cerceceria Catalana pagamos 7 euros numa garrafa de vinho rosé. A refeição saía uns 20 a 25 euros por pessoa (bebida inclusa), e os lanches rápidos entre 5 e 10 euros.

Metrô - bilhete único 1,35 E (é mais barato comprar mais viagens de uma vez só)
Entradas (para 1 adulto): Museu Nacional d'Art de Catalunya 8,50E , Fundació Joan Miró 9E, Sagrada Familia 12,50E, Parc Guell (gratuito), Estádio do Barcelona F.C. 19E, Fundació Caixa (várias exposições gratuitas), Estádio Olímpico (gratuito).
Hospedagem: Como minha querida amiga Marina mora lá, economizamos no hotel.

Paris: não sentimos diferença tão grande nos preços, como haviam nos alertado. Gastávamos em média 50 reais numa refeição completa, para nós dois, com bebida. Lanches rápidos na rua, de 5 a 10 euros.
Ah, muitos restaurantes servem as chamadas "´formules", que são "combos" que incluem entrada, prato e sobremesa, por um preço único, varia de 20 a 30 euros dependendo do nível do restaurante, e do que está incluído na fórmula. Vale a pena.

Metrô: bilhete único 1,60E (mais informações de transporte aqui, nós utilizamos mais o metrô)
Entradas: Catedral Notre Dame (entrada gratuita, para subir 7,50E), Basílica de Sacre-coeur (gratuita), Torre Eiffel 13E (para subir ao topo, com elevador. Comprando pelo site, você evita filas monstruosas), Museu do Louvre 9E (1º domingo do mês entrada gratuita), Castelo de Versalhes 18€ (passaporte + audioguia em português), Fundação Monet 8E (em Giverny, farei um post detalhado sobre este passeio).

Hospedagem: Hotel Alyss Cambronne: Hotel bom, em um lugar muito agradável, próximo à Torre Eiffel. Reservamos direto com o hotel, por 62E a diária casal (sem café). Free wi-fi.

Veneza: um dos lugares da viagem mais caros para comer. Claro, você está dentro da ilha e tem opções restritas, saí o preço sobe né. Os "menus turísticos" de lá eram muito mal servidos, o prato principal (2º piatto) vinha bem pouquinho, meu marido ficava com fome, rsrs. E tome Gelatto para compensar, rs.
Achamos que lá vale mais a pena pedir uma entrada, e um prato para cada um (fora do menu turístico). Mas Veneza é maravilhosa, e os pratos com frutos do mar são deliciosos e frescos.

Waterbus: do aeroporto para a Ilha 15E (Alilaguna Lines), andando pela ilha 6E (mais informações aqui )
Atrações: O melhor é caminhar sem rumo pelas ruelas, foi o que fizemos. Optamos por não entrar em igrejas e museus, já que vínhamos de Paris, e ainda tínhamos muitos museus pela frente em Roma e Atenas. A Praça San Marco é linda, e o mercado Rialto é um passeio fantástico... Preferimos gastar no passeio de gôndola, que custou 80 euros (ui!). Vale a pena...
Para quem quiser, tem a Basílica de San Marco, a Escola Grande de San Rocco, a Galeria da Academia, o museu Peggy Guggenheim...

Hospedagem: Hotel Al Nuovo Teson: bom e bem localizado, chega-se com o Waterbus bem perto do Hotel (fato relevante, uma vez que temos que puxar as malas a pé até o hotel). Ótimo café-da-manhã. Reserva pelo Booking.com a 100 euros o casal. Wi-fi paga.

Roma: come-se bem e barato, mantendo a média de 50 reais o casal, para uma refeição com bebida (uma ou duas taças de vinho). Lanches de 5 a 10 euros. Gelatto, de 2 a 4 euros.

Transporte: Nós optamos por comprar o ticket daquele ônibus "open top", bem turístico. Roma é uma cidade enorme, e não tem metrô como em Paris. Nesses ônibus, você compra o ticket para 1, 2 ou 3 dias, e pode entrar e sair quantas vezes quiser. Ele passa pelos pontos turísticos da cidade, é circular. Compramos para 2 dias (26E por pessoa).
Atrações: Coliseu, Palatino e Foro Romano 9E (sem audioguia), Museu do Vaticano 15 E, Circo Massimo (aberto), Vittoriano (aberto), Teatro Marcello (aberto), Fontana di Trevi (aberto), Parque Villa Borghese (aberto).

Hospedagem: Hotel Altavilla: O hotel é razoável, localizado perto da Estação Termini (onde há vários hotéis). Reserva pelo Booking.com a 98 euros o casal/dia, com café. Obs. No site o hotel parece melhor do que é...

Obs. Os ótimos vinhos da Toscana são bem baratos, com 15 euros você compra um vinho bom, com 30 euros, um excelente.

Atenas: A melhor comida da viagem, e também a mais barata. Comíamos (muito bem) por 40 E o casal, com vinho. Não deixe de experimentar o iogurte grego, que é como uma sobremesa. É vendido em lojas específicas, como se fosse sorvete (mas não é) por 2 ou 3 euros. Lanches por 5, 6 euros.

Atrações: Novo museu da Acrópole 5E (o museu mais barato de todos!), Acrópole (ticket que dá direito a várias outras atrações, como o Parthenon, Ágora Antiga, a biblioteca de Adriano, Teatro de Dionísio, Templo de Zeus e o Arco de Adriano, por 12E, Estádio Olímpico Panatinaikos 3 E (!!! com audioguia em Português), Mercado Monastiraki (aberto).
Transporte: nós só usamos o metrô para ir do Aeroporto para a Acrópole (bairro onde estava nosso hotel) 6E, para metrô dentro da cidade, o preço é 0,80E bilhete único (one way). Lá, só andamos a pé, é tudo realmente perto (se você estiver hospedado próximo à Acrópole, Plaka ou Syntagma (estação do metrô central).

Hospedagem: Airotel Pathenon: hotel excelente, 4 estrelas, com preço ótimo. Reservamos pelo booking.com a 85 euros o casal/dia, com café-da-manhã bem farto e ótima localização + free wi-fi.

Entonces...

É viável viajar para a Europa com 100 euros por dia o casal, (deixando de fora as despesas com o hotel, passagens de avião e comprinhas - para isso existe cartão de crédito!!! rsrs).

Sem esbanjar, mas sem passar perrengue algum.

*UPDATE: Fizemos uma nova viagem à Europa em Abril/2015, e o panorama de valores permanece! Até superestimamos os gastos diários, achando que teriam subido, mas não!
O que subiu, sim, foram os valores de hospedagem (talvez nosso nível de exigência tb, rs), mas agora existe a opção de alugar Apts "massa" (no AirBnB). Em breve contarei essa experiência em Paris, aqui no blog!

Um comentário:

Harmonia Feng Shui disse...

E no total... qto foi o gasto para um mês na Europa.... quando digo total... com tudo: passagem, hotel, e despesas com alimentação e passeios.
Abs.